quinta-feira, 26 de maio de 2011

Micos na pequena cidade


Oie gente, semana passada eu tinha escrito esse texto, mas sabem aquela semana que você se perde? Então, para mim que era Quarta-feira e quando fui ver era Quinta e nem deu mais tempo de postar, mas enfim, hoje eu vim me redimir xD
Bom, vou avisar também que a partir da próxima semana eu vou começar a fazer histórias divididas em capítulos porque é difícil fazer coisas engraçadas curtas iguais as que eu ando postando e  que sinceramente andam ficando horríveis.
Bom, vamos ao que interessa:


Caraca, eu estava saindo do hotel que estou hospedada quando eu vi uma vaca encalhada, no MEIO da cidade.
Fiquei olhando aquilo sem acreditar. Rolei os olho e saí rindo da situação.
Eu me mudei para uma cidade pequena que só vendo pra saber o quão bicho do mato é o povo daqui, infelizmente minha profissão de Paleontólga me faz ir para lugares mais remotos e estranhos do mundo.
Encontrei meu grupo na praça uma quadra depois e eles observavam as pessoas tentando tirar a vaca da lama, ou seria brejo?
- Pow, essa vaca nunca vai sair daí! - Victor ria enquanto olhava a cena.
- Você é muito pessímista Victor, eles já estão conseguind tirá-la, perto do que estava quando chegamo aqui... - Luciana ria junto com o amigo.
- Gente, chega, vamos trabalhar! - Eu disse virando eles para o carro.

chegamos no terreno que deveria ter os documentos enterrados e descemos do carro animados.
- Gente, primeira vez que vou exercer minha profissão do jeito que é para ser! - Eu disse pulando.
- Calma aí Débora, se ficar pulando vai estragar o campo de pesquisa - Victor chamou minha atenção, ele era um paleontólogo mais experiente e eu o obedeci.
- Gente, vamos começar a pesquisar, quando econtrarem qualquer coisa que se pareça com algo que estejamos procurando use os rádios - Luciana disse se afastando com suas ferramentas.
Fiquei andando pelo terreno procurando algum rastro de alguma coisa história até ouvir um barulho que vinha de dentro de um pequeno bosque que ficava perto dali, me dirigi ao local após ouvir novamente um barulho, parecia um grito de algum homem, daqueles bem covardes.
- Moça... Moça... Por favor moça... Me ajuda... - Um cara todo sujo e esfarrapado vinha na minha direção, ele olhava para trás espantado.
- O que houve? - Perguntei tentando acalmá-lo.
- É que eu estava andando por ali e quase caí num barranco que tinha um monte de esqueletos... - O cara disse apavorado e quase me derrubando ao me puxar em direção contrária que eu ia. - Vamos embora moça, vamos...
- Não, pode ir, eu vou lá ver o que é... - Eu disse e o covarde me soltou resmungando um "tudo bem" e continuou correndo.
Andei mais um pouco e dei de cara com uma cratera não muito grande, mas que parecia ter desabado havia pouco tempo, no máximo um dia, no fundo haviam alguns ossos humanos. Era aquilo que estava procurando, peguei meu rádio e avisei meus companheiros, quando eles chegaram lá ficaram fascinados.
- Nunca foi tão fácil achar ossos como dessa vez - Disse Luciana descendo na cratera.
- Verdade, tivemos muita sorte - Victor concordou com ela enquanto se dirigia para o carro para avisar ao resto da equipe que concluímos nossa primeira fase, que agora era hora de trazermos os instrumentos para retirar as relíquias dali sem dano algum.
Mais tarde quando o resto do pessoal chegou, começamos a escavar e a cada osso retirado eu ficava mais extasiada.
- Gente, eu amo esse trabalho! - Eu disse, mas ao olhar para o lado eu vi uma cobra ENORME e o meu comentário ficou de lado, eu nunca tinha dito para ninguém, mas eu MORRO de medo de cobras. O animal se encontrava distante, mas eu saí correndo dali na mesma hora, quase estraguei o campo de pesquisa, todos me olharam assustados e eu nem conseguia gritar que era uma cobra, saí correndo do bosque e logo Victor estava ao meu lado.
- O que foi que houve? Você está branca! - Ele me olhou espantado.
- Uma cobra enorme - eu estava com os olho arregalados e apavorada.
- Nossa, esse escandalo todo por uma simples cobra? - Ele perguntou rindo.
- Sim, eu tenho MUITO MEDO de cobras - eu respondi envergonhada.
- e você quer ser paleontóloga? - Ele ria mais ainda. - Que tipos de bichos você acha que tem no mato?
- Sei que tem cobras, mas dá um desconto, volta pra lá, eu não vou - eu respondi entrando no carro, tenho paranóia, quando vejo uma cobra é difícil fazer com que eu permaneça com os pés no chão.
- Você é engraçada... - Ele se afastou ainda rindo de mim, depois eu fiquei sentei no banco do motorista do carro e fiquei me recuperando, tanto do susto quanto da vermelhidão do meu rosto pela vergonha.
Tinha mais dois carros ali e eu queria ir embora, já que estava no meu carro eu fui para a cidade.
Chegando lá, as pessoas ainda tentavam tirar a vaca da lama, brejo, tanto faz.
- Nossa, gente, ainda não tiraram essa vaca daí? - Comentei com uma senhora que estava na entrada do hotel observando o que os outros faziam do outro lado da rua.
- Eles a tiraram, mas um cara passou gritando por aqui uma coisa como "Esqueletos... Zumbis... Esqueletos..." e a vaca se assustou voltando para trás e atolando novamente.
eu não consegui não rir.
- Acha engraçado? - A senhora perguntou espantada.
- Não, não, é que o moço viu os esqueletos que eu estava procurando e ficou com medo e saiu correndo - eu disse ainda rindo, a senhora ficou me olhando confusa e logo acrescentou:
- como assim? Você mexe com esqueletos? Não tem pesadelos durante a noite? - Eu quase ri da cara que ela fez.
- Não senhora, é não tenho medo dos mortos, ainda mais dos falecidos há mais de 100 anos - Respondi calmamente. - Tenho medo é dos vivos.
Ficamos caladas observando tirarem a vaca da lama, quando ela estava quase saindo chegou um carro buzinando na cidade, a vaca se assustou e voltou novmente. Os homens tentavam tirá-la desde a manhã ficaram revoltados.
- Qual é caras? Agora vocês que vão tirar essa vaca daqui! - Falou um brutmonte, vi Victor e Osvaldo tremenrem nas bases.
- Desculpa, nó faremos isso para vocês, esperem penas um poquinho - Lucas respondeu.

Saíram por uns 10 minuto e logo voltaram com um guindaste, olhei desconfiada para eles e eles sorriram. Lucas estava sentado no volante e Osvaldo ficou perto da vaca, quando Lucas apontou com aquela coisa enorme perto do amigos, ele pegou uma espécie de leito e arrumou a vaca, lugo depois ele ergueu o cabo e a ergueu.
A vaca reclamava muito, mas alguns minutos depois ela estava livre.
- Parabéns gente, vocês fizeram em poucos minutos coisas que o povo daqui levou horas para fazer - A senhora comentou quando os garotos chegaram perto de nós. Obrigada.
- Tudo bem, obrigada senhora, agora. Deixe-me ir para meu quarto, estou exausta.
Me despedi dela e entrei, Lucas e Osvaldo me seguiram. Dentro do prédio fomos cada um para seu quarto, cada um se lembrando dos próprios micos do dia.

1 comentários:

SPLASH CAKE disse...

Oi, estou visitando seu blog e aqui é muito lindo. Gostaria de dar uma passadinha e deixar sua opinião no meu também? :3 http://splashcake.blogspot.com

Postar um comentário

Sua opinião é sempre bem vinda, sinta-se livre para expor ela.

 
Layout por Cínthia | Powered by Blogger
Sweet and Dark Copyright 2013 - Todos os direitos reservados