quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Três loucas no camarim


Estava no show com minhas amigas e quando acabou, demos um jeito de entrar nos camarins. Das três, apenas Ana e eu estávamos alegres por estar ali, porque, mesmo sendo nossa amiga e que vivemos falando do Green Day Julia não sabe nem o nome deles e estava odiando estar ali, acho que ela tem um bloqueio por essa banda, sei lá...
- Nem acredito que conseguimos passar pelos seguranças! – Ana disse enquanto adentrávamos o corredor que levava para o camarim da banda.
- Eu também não – Eu disse enquanto sorriamos iguais duas bobas.
- Eu também não acredito que aceitei entrar nessa furada! – Julia disse emburrada.
- Porque você nos ama sua boba – ela sorriu de lado quando eu disse isso e a abracei pelo ombro.
- É só por isso mesmo! – Ela disse.
 Votamos a andar e quando estávamos passando no meio do enorme corredor esbarramos no faxineiro do local. O idiota sujou toda a minha calça com a água suja que ele carregava, quando fui gritar com ele eu paralisei olhando um ponto fixo atrás dele.
- Carol? Você está bem? – Julia passava a mão na frente do meu rosto, mas eu nem me mexi, ela desistiu e olho para onde eu não desgrudava os olhos. Ana soltou um berro do meu lado que fez com que eu saísse do transe e a fuzilasse, vi que o faxineiro e Julia levaram um susto.
- Aquele é o Tré?! – Ana sussurrou para mim e me puxou para onde estava o baterista do Green Day sem nem que eu tivesse respondido. Por sorte ele não havia escutado o grito da minha amiga nada escandalosa.
- TRÉÉÉÉÉÉÉ! – Gritamos juntas e ele se assustou e quase deixou o copo que ele segurava cair no chão. Ele nos olhou e saiu correndo para o camarim, deveria ter ficado com medo da gente.
- Vocês são loucas, assustaram o homem! – Julia chegou por trás de nós rindo feito louca.
- Ah eu não vou ficar aqui... – Ana disse e saiu correndo atrás do Tré e eu fui com ela. Olhei para trás e Julia se arrastava atrás de nós duas.
Paramos no final de um corredor e vimos o Tré entrando em uma porta, corremos e entramos nela atrás dele. Era um pequeno quarto onde havia muitas roupas.
- Vá procurar que eu fico aqui! – Eu disse e Ana começou a revirar os cabides.
°°°
Eu procurava as doidas que haviam saído correndo atrás de um tal de Tré... Esse nome mão me é estranho, mas eu não sei onde eu havia escutado ele antes. Como eu não sou burra eu acho que era o nome de um dos integrantes dessa banda. Eu me desesperei, estava perdida num lugar desconhecido e que eu era penetra. Entrei num corredor e as luzes se apagaram, eu comecei a gritar, o lugar estava me dando medo e com aquilo me desesperei mais ainda, comecei a girar e nem sabia mais onde ficava a porta que eu tinha entrado. Fiquei em silencio e sentei no chão, prendi a respiração quando ouvi outra bem perto de mim.
- Quem é você? O que faz aqui nesse corredor? – Ouvi uma voz me perguntar me ajudando a levantar.
- Minhas amigas são fãs do Green Day e me arrastaram para cá, daí elas viram um tal de Tré e saíram correndo atrás dele me deixando para trás e eu me perdi procurando elas – comecei a falar feito louca.
- Ah tudo bem, as luzes devem ter queimado aqui, vem, vamos sair daqui! – O cara me puxou para um lugar e eu estava com medo de bater de cara com a parede. Quando saímos e a luz atingiu meus olhos eles doeram um pouco e eu olhei para o chão, onde tinha menos luz, até eles voltarem ao normal.
- Quer que eu te ajude a procurar suas amigas? – Ouvi o cara me perguntar e olhei para ele. Era um moreno de olhos verdes, ele era até bonitinho, sorri ao pensar nisso.
- Seria bom, eu não conheço nada aqui! – Eu disse rindo.
- Poderia saber o seu nome? O meu é Billie Joe! – Ele disse estendendo a mão para mim.
- Julia! – Eu disse pegando na mão dele, ele me puxou e me deu um beijo no rosto, me pegando de surpresa.
Andamos conversando por um bom tempo até encontrarmos o tal de Tré corendo.
- Socorro Billie, me salva, tem duas loucas correndo atrás de mim! – Ele disse se escondendo atrás de Billie e eu comecei a rir.
- Acho que as encontramos! – Eu disse rindo.
- Encontraram quem? – Tré perguntou confuso.
- Minhas amigas! – eu disse sorrindo e ele me olhou com medo.
- Se são suas amigas, porque você não está com elas? Porque você está com o Billie? Porque você não está gritando? – Ele começou a perguntar freneticamente.
- Porque eu me perdi delas, eu precisava de alguém que conhecesse o lugar e porque eu deveria gritar? – Respondi as perguntas calmamente.
Logo ouvi as vozes e risos delas se aproximando.
- Ah eu vou sair daqui, é melhor você vir junto Billie! – O Tré disse querendo sair correndo, mas Billie o segurou.
- Fica calmo homem, são apenas duas garotas, duas fãs! – Ele disse rindo.
- Juuuh, você achou o Billie também! – Carol me gritou, quando ela foi passar por mim eu segurei ela e a Ana bateu nela e quase caímos no chão.
- Vocês estão assustando eles, dá para parecerem normais uma vez na vida? – Eu disse brava com elas.
- Onde você encontrou o Billie? – Ana me perguntou ignorando o que eu falei.
- Não importa, mas agora vão fingir civilidade e parar de perseguir o Tré, ele está realmente com medo de vocês... – Eu disse e elas tiraram os sorrisos dos rostos.
- É sério? – Carol perguntou olhando para um Tré ainda escondido atrás de um Billie que ria muito da situação.
- Aham – ele disse acenando com a cabeça frenéticamente.
- Agora se comportem jeito gente e peçam desculpas! – Disse puxando o Tré e colocando ele de frente para elas que estavam vermelhas.
- Desculpa, é que nós gostamos muito de vocês! – Carol disse com uma voz quase imperceptível. O Tré sorriu e abraçou ela. Ana fez o mesmo e ele também abraçou ela.
Depois disso eles nos convidaram para conhecer o camarim deles e nós aceitamos, claro, eu já tinha começado a gostar deles, eram bem legais, e bonitos.
- Vocês são tão humanas quando não estão correndo a trás da gente! – Tré disse sentado num sofá ao lado de Ana.
- Nós somos humanas, não humanas normais, mas somos – Carol respondeu e todos riram.
Ficamos no camarim deles até eles terem que ir embora para continuarem a viajem pela turnê.
Mas antes deles irem eles nos deram três CDs autografados e passes livres para os camarins deles, para quando eles voltassem para a cidade.

1 comentários:

Anônimo disse...

haushaush adorei!!
Quem diria que a Juh ia se dar tão bem, néh?!

Postar um comentário

Sua opinião é sempre bem vinda, sinta-se livre para expor ela.

 
Layout por Cínthia | Powered by Blogger
Sweet and Dark Copyright 2013 - Todos os direitos reservados